Páginas

domingo, 7 de maio de 2006

Estado momentâneo atual 2

Hoje choveu lá fora
Sabe, hoje eu estive lá fora
Correndo na chuva
Debaixo de pingos e olhos curiosos.

Molhei-me completamente
Com camisa e tênis
Corria sem saber
Aonde precisava chegar.

O frio aos poucos foi cedendo
A respiração foi ficando ofegante
Ao passo de em um momento
O jogo ter parecido se findar.

Só faltava um alguém
Para transformar o momento
No mais perfeito.
Sabe, você é esse alguém.

Por um instante parei em um lugar vazio
Fitei o céu, ele tinha um forte tom escuro com borrões azuis.
Gotas poluíam minhas lentes
Tirei os óculos, apreciei a chuva.

O céu estava lindo
E eu parado, olhos ao alto a deslumbrá-lo
Em sua vasta imensidão tornou-se mínimo
Do horizonte ao vértice, tão pequeno!

Perdeu sua graça
Só faria sentido se
Estivesse comigo
Ao meu lado para rirmos das gotas límpidas.

Fantasia sem fundamento
Estou encharcado e longe de casa
O frio já me abandonou a tempo
Como é bom pensar em nós.

Mas a realidade não perdoa
E se apresenta a mim para mostrar
Que de real esse sonho nada tem
Que agora em que eu cheguei em casa o frio me lembra que você não está aqui.

São 0:00h de uma noite de domingo para segunda
Lembranças suas acorrentaram-se aos meus neurônios
Jogaram a chave do cadeado fora
E não me deixam um minuto sequer.

Fico imaginando se está pensando em mim,
Ou se está dormindo preocupada com a prova de geografia
Sabe, você deve ser linda dormindo
Como eu queria ter você do meu lado.

Sabe, amo seu jeito de ser
Sua vida que se mistura à fantasia
Sua forma de ver o mundo
Seu jeito de falar comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário