Páginas

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Mundo

Dias de chuva
onde se misturam
metal e água.

Chuva num lugar onde
em épocas escuras
se extrai tinta vermelha.

Tinta tirada à força
com essência modificada socialmente
tornou-se corante artificial.

A noite traz uma brisa suave, confortante.
Traz o receio e a insegurança da escuridão.
E o estado sempre alerta contra a falta de vida.

terça-feira, 22 de agosto de 2006

Muda crença

União de cores
em luz latente
brancamarelo do qual
dia se forma.

Intensidade devastadora
encolhe olhos curiosos
que tentam sem sucesso
ver por detrás da luz.

Que se recolhe
por vontade própria
cedendo lugar
à escuridão inicial, obrigada.

Em meio à falta de luz
a esperança então se sobrepõe
com o crescimento voluntário
do espelho noturno que rebate migalhas da luz verdadeira.

domingo, 20 de agosto de 2006

Início e fim

Cantinho engraçado
Num lugar embasado
Escondido e escancarado
Na infinitude divina, perfeita.

Espaço de mistério
Com seus anos-luz de distância
Desafia a ciência
E a confunde.

Nesse esconderijo qualquer
Onde a razão domina (ou tenta)
Um mundo
Um ponto.

Ínfimos seres
Em meio ao universo lá fora
Que começa então a se mostrar
E apagar o que está cá dentro.

Um símbolo,
Uma cidade enfim.
Cotidianamente se repete
O que é visto diariamente.

Tradição que determina:
Com inimigos se faz um homem.
Mas, talvez ninguém tenha notado que
Com amigos se confirma um ser humano.

Em culturas objetivas
Não se perde tempo com o diferente
Ignora-se apenas
E deixa-se em paz.

Em culturas cíclicas
O diferente incomoda, assusta
Se forma uma organização de diferentes
Que só querem mostrar não serem iguais.

Em nossa cultura falta tempo
Tem-se medo a cada beco
O preconceito enraíza-se até as vísceras mais profundas da alma
E de graça permitimo-nos não ser-mos.

Mas somos em corpos,
Sendo luz em alma
Que nem a todos convém
Em alguns espíritos de porcos

De vida ramificam-se ambos
Corpo e alma
Ainda que presos, encarnados
Em si ainda falta algo.

Uma substância talvez
Ou então uma nova invenção
Ao certo um sentimento
Enobrecido em energia: amor.