Páginas

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Vida que segue

O desestimulante natural do ser humano
Talvez até o mais forte
É a falta daquilo que o afirma
Que o renova e provoca respirações tranqüilas.

Quando se sente que sua afirmação
Está tão próxima e nem sequer se consegue olhar
E ainda ter mais chance de não poder com ela ficar
Do que de fato minha vida a felicidade poder transformar.

O melhor é não saber o que quer
E mesmo se soubesse não ter certeza se seria o certo.
Andar conforme as tempestades mudam o caminho
Na vã esperança de encontrar a aurora eterna.

Aquele pote de ouro no fim do arco-íris talvez não exista
Nem de fato o próprio arco a guiar para lugar algum.
Mas nesse ponto materializa-se uma ponte entre olhares
Responsável pela certeza que a vida pode continuar


Por: Felipe Cabral
Em: 19.08.2008

Um comentário:

  1. Escrever sobre seus poemas é mto difícil...
    Pq eles falam de sentimentos q mtas pessoas têm e não conseguem falar...
    Vc consegue transportar pro papel td o q tá sentindo...
    Esse poema foi escrito em um momento mto bom...
    Pq é o q vc tá vivendo, e esse tipo de momento tem q ser exteriorizado de algum jeito pra q nunca sejam esquecidos...
    Gostei mtoo...
    Na verdade...
    Adorei!!!

    Bjssss

    ResponderExcluir