Páginas

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Curso Incessante dos Dias

É, no mínimo, chato
Quando se olha para frente
E a única coisa que se tem a dizer é
“Eu não sei”.

Deixando de fora essa rotina sem graça,
É complicado saber
O que pode acontecer de novo
Que nos motive a encarar mais uma semana.

Ainda mais difícil é quando tal frase
Vem acompanhada de um leve desmoronamento
De sonhos ou certezas boas
Que obriga a refletir sobre o que será do futuro.

E enquanto caminhamos em tropeços,
Enquanto nos confundimos em caminhos sem saída
Vamos perdendo tempo,
Deixando-o escorrer por entre os dedos.

Ao passo que o tempo se esvai
Perdemos a oportunidade de acertar,
De descobrir, confirmar e acreditar.
Mas como amanhã será como ontem, por que se preocupar?


Por: Felipe Cabral
Em: 14.10.2008