Páginas

domingo, 4 de outubro de 2009

Colcha de Retalhos

A dor é penetrante,

Como agulha a costurar retalhos

E como costura

A marcar fronteiras de cicatrizes.


Corpo, mente e alma retalhados

A sustentarem coração, desapegado,

Com finos fios de nós, laços

Mal dados.


Mil pontos fracos unidos

A formar um estranho ser

Disforme.

Ilusão nivelada por baixo.


Estranheza em afastar reconhecida,

Preferência em solidão, enfim.

Angústia moída e remoída

Torna a mais vil dor, frenesi.

Um comentário:

  1. Já falei que adoro tuas poesias?

    Mesmo quando são costuradas a retalhos, doloridas.

    ...

    saudades.

    bjo, bjo, bjo..

    [até]

    ResponderExcluir