Páginas

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Citação

"Não existe mau aluno, apenas mau professor."

Mestre Miyagi, Karate Kid, 1984.


Esta deveria ser a filosofia da ufrj.

Filosofia

Não desista,
mantenha a cabeça erguida,
enfrente o destino que nos surra.
Porque podemos vencer
nem que seja pelo cansaço.

A vida sempre continua.

Calma que ao fim do dia o sono chega
para que a luta contra as feridas seja leal.
Deixando cicatrizes como testemunhas
dessa diplomacia silenciosa
que afoga.

Inevitável

Venha, vamos para este lugar morar.
Nesse canto se esconder.

Vamos plantar nossa horta
e deixá-la florescer.

Vamos viver só do que é bom
não temos tempo a perder com o mal.

Vamos deixar a vida madurar,
que no ponto ela já quase está.

E vamos apenas viver,
sem permitir o tempo correr.

Que ainda temos
muito o que fazer.

Um ano

Em janeiro é aniversário
do que era improvável.

A casa rosa

Que desta nova casa
seja feita nossa morada.

E que a pintura seja a única
fragilizada pelo desbotar do tempo.

Retrospectiva

Que este ano
seja enterrado
para nunca ser achado.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Verão

Enxergo por detrás de uma cortina negra
que dança conforme um vento forçado.
E dela pinga meu suor desses dias quentes.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Unanimidade

O símbolo escolhido
do 7º período
é um copo de café.

Casa vazia

Um lugar para cada coisa
e uma coisa para cada finalidade.
Quero minha mente como uma casa vazia.

Saudade

Tempos em que
a manhã corria
com os desenhos.

Quero ano novo logo

O sorriso é difícil e escasso
nesse fim de ano de alta cobrança.
Quando vem queima essa garganta.
Tudo o que é forçado prejudica.

Sinceridade

Nessa manhã cinzenta
travo em minha poesia.

Citação

"Cercam-me com palavras odiosas
e sem causa me fazem guerra.
Em paga do meu amor, me hostilizam,
eu, porém, oro."

Do que é proferido

As mazelas desta carne
vêm das palavras.
Sugeridas e afiadas
desgastam a vontade de viver.

Exploração

Meus pensamentos, essa vida
e a mente doída
são minhas rodas nessa terra.

Observação

Aos alados,
os abismos são convidativos.

Simplicidade

Maritacas se enamoram nos telhados
em toda a manhã.

Pardais cuidam dos seus filhotes
com todo o zelo que lhes é possível.

Rolinhas cavam e organizam
o futuro lugar de seus ninhos.

Enquanto sabiás procuram
comida e palha para os seus.

Em volta disso está eu,
egoísta,

depois de ser da mais bela espécie,
desejo a mesquinharia de ser pássaro.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Rotina

Tudo na vida
tem um pouco de engarrafamento.
Esse chove e não molha,
anda um pouco e para novamente.
Ainda que haja um avanço,
e de fato há,
nada parece evoluir.

Vamos dirigindo a 8 km/h
porque chegar a ser velho ninguém quer.
Mal sabemos que é a velhice
quem vem a mais de 100.


Obs.: Estou momentaneamente sem internet (espero) então os posts serão escassos, bem como novos comentários. Mas assim que a normalidade retornar trará com ela a frequência de postagem xD.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Lei natural

Na evolução dos vícios
a última droga é a morte.
Uma vez experimentada,
como deixar a dependência?

domingo, 28 de novembro de 2010

Fantástico

E na noite de domingo
o fantástico está recheado
de Michael Jackson e traficantes.

Fantástico é a falta de assunto.

Rio de Janeiro

O s que falta em Zeu
é o que sobra em Zeus.
A mitologia se confunde com a realidade
e assistimos à guerra como desfile de carnaval.
Resta saber se quando o desfile terminar
todo o lixo será recolhido.

Do dizer adeus

Nunca consegui dizer adeus,
o passado é tão forte
que às vezes impede
que novas memórias se gravem.

domingo, 21 de novembro de 2010

Manhã

Os pardais fazem uma bagunça
e não limpam
ovos nem filhotes
que caem do ninho.

HD novo

Entre dados
corrompidos e perdidos
salvaram-se todos.

Como novo ganhador da loteria
que não sabe o que fazer com tanto dinheiro,
não sei como ocupar tanto espaço.

HD

Falha que obriga gastos
e mudança de hábitos.
Ao menos dessa vez avisou.

Rio de Janeiro

Cidade alinhavada
por bordas de chamas.
Linha vermelha e amarela.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Elevador

Quando era pequeno
apertava o botão do elevador
e ele abria, depois apertava de novo
e ele subia.

Quando não subia, descia.
Tristeza foi quando soube
que não passa de uma caixa vazia.

Acampamento

A noite avança,
essa brasa já foi fogueira.
O sono bambeia nossos olhos
que lutam para eternizar esse momento.

Todos os dias deveriam ter
a fogueira da última noite.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Conclusão

Se uma folha branca é silêncio,
quero mais é barulho.

sábado, 13 de novembro de 2010

Desafio

Estou farto desta planície
sem graça e sem novidade.
Aceito o desafio criado.
É hora de escalar montanhas.

Instante

Existem ilhas
onde meu tempo aporta
com a âncora
do pouco conhecimento.

É tudo parte
de um revezamento.
Se nenhum homem é uma ilha,
com certeza é arquipélago.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Versos

Quero ler suas linhas
enquanto decifro as entrelinhas
entre vírgulas:
pausa para respirar
e admirar
a ausência do ponto final.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Sina

Coitada desta antiga caneta
sua tinta falha e só produz marcas.

Marca minha folha, já não escreve,
cicatrizes são formadas pelos veios no papel.

A ferida ainda jovem era agredida,
não conseguia, tadinha, criar casquinha.

Marca minha folha, já não escreve,
cicatrizes são formadas pelos veios no papel.

Hoje a casca é grossa, mas craquelada.
Herança do período, de agora, que ainda fere.

Marca minha folha, já não escreve,
cicatrizes são formadas pelos veios no papel.

O passado tira pedaço, lembrança que flagela
como a caneta que com tinta produzia memórias, mas

marca minha folha, já não escreve,
cicatrizes são formadas pelos veios no papel.

Citando Thiago de Mello

As ensinanças da dúvida


Tive um chão (mas já faz tempo)
todo feito de certezas
tão duras como lajedos.

Agora (o tempo é que fez)
tenho um caminho de barro
umedecido de dúvidas.

Mas nele (devagar vou)
me cresce funda a certeza
de que vale a pena o amor

domingo, 7 de novembro de 2010

Fidelidade

Acredito em Deus
e em Sua Palavra.
Mas cego não sou,
tenho meus motivos
que embasam a crença.

Por outro lado
entendo o não crer
dos demais
e me pergunto sempre:
são loucos?

Nesse mundo sem identidade
mais loucos são
os que dizem acreditar
sem honrar tal crença
esvaindo o nome de Deus.

Fracos e sem querer.
A pouca fé que afirmam ter
é falsa: não segura a vontade vã.
E o quadro é pintado
com tintas de iniquidade.

Mas Ele bem que avisou
que assim seria.
Que os verdadeiros
seriam salvos.
Se é falso já está perdido.

sábado, 6 de novembro de 2010

Zumbizar ou não Zumbizar?

"Nunca achei que se tornar zumbi seria um grande problema, já que eu espero que um zumbi fique ‘emburrecido’ e esqueça que um dia foi humano. Dessa maneira, não há porque se preocupar. Ignorância é felicidade. Se eu for zumbi e não souber que um dia fui humana e não comia carne dos meus semelhantes, acho que posso viver com isso."


Viver como zumbi
poderia ser a melhor
das vidas.

Ignorância de fato
é felicidade?

Felicidade vem
de todo esquecimento
efetivo.


Obs.: Imagem e texto retirados deste post do Olhômetro.
Obs.2: Estou numa fase agradável com relação a zumbis e similares.

Aos produtores de filmes com zumbis

Pergunta:
Por que os zumbis não se alimentam deles mesmos? o.O

Humanidade: quero uma pra viver

As pessoas como humanas já não mais existem.
A imagem e perfeição se corrompeu.

Não deveria,
mas odeio pessoas.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Noite de Halloween

halloween-8e663O silêncio se escondeu,
ficou no submundo do respeito.
Onde não há respeito
não há silêncio.
 
barulhoA noite avança em horas
enquanto estrangula meus sonhos
com cordas feitas dos barulhos
do povo que não trabalha no ponto facultativo.
 
O silêncio retornou
pegando carona com o sol.
Parece que a ressaca é mais aconchegante.
silencio 
E o dia amanheceu
mostrando restos como testemunhas
da falta de respeito de uns vagabundos. 

sábado, 30 de outubro de 2010

Não olhe

Vire o rosto
porque ironicamente
não mereces ver o sangue
da ferida que causaste.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ateísmo

Os que desejam
não serem vistos por Deus
enganam a si mesmos
ao se esquecerem dEle.

Deus observa tudo e todos
inclusive os que nEle não acreditam.

Ciclo

A lua escolheu a noite
unicamente porque
durante o dia
é desleal a concorrência
com o sol.

Quase estático

Na aula de máquinas
o tempo se arrasta
como se não tivesse pernas.

Desejo

Quero uma trilha
que não leve a lugar algum.
Mas que seja bonita
para que o caminho valha a pena.

Casamento

Não é por desistência
ou por acomodação.
O casamento é para
viver dupla emoção.

O pássaro da aula das 15:00

Enquanto a última aula
da sexta-feira pré-feriado
se arrasta em sonolência
o pássaro do período passado
bate no vidro querendo entrar.

Mal sabe ele que sua
condição é que é invejável.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Constatação

Felizes são os que evoluem
sem notar.
Percepções filosóficas acerca da vida
só atrasam os dias.

sábado, 23 de outubro de 2010

citation

"My past is divided between things that I can't remember and things I don't want to remember.
And you're both!"

Charlie Sheen.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Casualidade

- Olha, ela tem um blog!
- Eu também tenho um...
- Você tem um blog? Pra quê?
- Pra poesias, eu escrevo.
- Você escreve?
- Uhum.
- Você é uma pessoa bem engraçada

Dificuldade

Não sei se por consideração
ou medo de ficar órfão da inércia,
mas não avanço.
A tentação do novo é forte e
agravada pela história.

Um dia esqueço tudo
e vou.

Do atual

Estou preso num presente
em que, isento, devo
negar o antigo novo.

É natural não querer
manter essa isenção
sem cortes ou encontros.

A possibilidade bate à porta.
Armadilha ou
ilusão.

Escola de Engenharia

Na engenharia
só parâmetros são desprezados.
Quer dizer,
alunos também são parâmetros?

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Segredo vazado

É mais difícil
quando o tempo é fresco.

Razão

Razão não é algo que se tem
ou que se adquire.

Razão é um ser mitológico
que só tem vida na imaginação humana.

Mito

Ignoro a revolta
e os pedidos de retorno.
Tudo ainda parece ilusão,
uma piada de mau gosto
que não se finda, nunca termina.

O desejo da exclusão existe,
mas só é desejo por ser impossível.
A menos de doença não se vive sozinho.
Ao tempo que muito aprendo
outra parte só se engana.

O corpo quase pede para nascer novamente,
daquele jeito nojento, fisicamente.
Na tola esperança de fazer outra história.
Ele inveja a vida em estado vegetativo,
como barco à deriva, sem dependência alguma.

Linhas

Hoje não quero ter que estudar,
hoje quero mais é que
as linhas de alta tensão deem curto!

No fim das contas

No fim das contas
não há amizade,
ou amor,
ou companheirismo,
ou qualquer sentimento
que seja maior do que
suportar o próximo
apenas em favor
da própria vontade.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Compreensão

Entendo,
claro que entendo.
Sua má vontade
é toda humana
e toda sua.

Não preciso de desculpa
nem conversa.
Faço parte dessa lenha,
essa brasa que amorna,
mas não esquenta.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Aposentadoria

O ócio
ao espírito atarefado
é como cavalo domesticado
sem rédeas.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ao professor rabugento

Sua ignorância vem
da vida que te apavora.

Deixa, que sua velhice bate à porta
de mãos dadas com a solidão.

Finados

Mortos
aproveitam
o feriado?

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Curiosidade

O interessante beira os pêlos,
quase beija a superfície.

Desaliena menino

Desaliena menino, desaliena

que já estamos em outubro,
não agosto.

Desaliena menino, desaliena

que o cruzeiro não é mais moeda,
é o real.

Desaliena menino, desaliena

que tudo muda,
ainda que seja constante.

Desaliena menino, desaliena

porque as crises vêm e vão
e precisamos acompanhá-las.

Desaliena menino, desaliena.

domingo, 10 de outubro de 2010

Nunca será como antes

Por favor, não exija o retorno,
a antiga condição não volta mais.
Não peça que regrida no tempo
em que o limite fingia ser conhecido.

Não diga que está pior agora
porque a vida de outrora se foi.
Deu espaço a uma maturidade cruel
prevendo escapes que fogem da antiga inocência.

Sou frutos de uma árvore dinâmica
que reage ao que a ela é oferecido.
Como esperar doces polpas
em troca de amarga irrigação?

Ainda que doces, frutos mais secos,
o solo guarda aquilo que nele foi jogado.
Os gomos sempre carregarão lembranças da terra.
Azar das árvores: não se pode sair do lugar.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Sorriso

Larga as preocupações
e os trabalhos todos
que seu sorriso quer ser visto
pela alegria dos olhos certos.

Son(h)o

Existe um pedaço de momento
em que um sono
cobre meus olhos
com um manto transparente,

tecido pesado
feito de cansaço
derruba este corpo
já fatigado.

Quando a força que sustenta cede
coloca a mesa aos olhos d'alma.
Cardápio do subconsciente:
sonhos.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

terça-feira, 5 de outubro de 2010

JIC

Últimos meses,
fundão de 8:00 às 20:00.

Valeu a pena, ê ê!

ps.: Apresentação amanhã de 9:00 às 12:10, bloco D:
"Um Modelo Utilizando Autômatos Híbridos para Diabetes Melito Tipo 1"

domingo, 3 de outubro de 2010

Entrem

Quero dizer à felicidade
que a porta está aberta
e o convite já foi feito.

Quero ensinar à alegria
a ser mal educada. Para
que entre quando queira
sem precisar ser chamada.

Bons sentimentos, aprendam
com os maus. Passem a ser
tão intrusos quanto.

Que para ser feliz não
quero precisar de convite,
nem me preocupar em manter
a porta aberta para a alegria entrar.

Podem forçar a entrada, vão gostar daqui.

domingo, 26 de setembro de 2010

Explicação

porque asas
não combinam com tempestade.
Deixe-as fechadas,
envolvidas em chuva de felicidade,

que é morna,
feita de palavras.
Sopa de letras que contorna
a liberdade que a vida lavra.

Aproveite o líquido
que do céu jorra.
Semeie para que o ressequido
coração não morra.

Sem título

O amor
em sua poesia
é secundário.

O que vale
nela é o valor
literário.

Cópia pura
do comportamento
humano.

Cristo

A paz aos
tempos de agora:
aurora do natal.

Nós

Nós que somos e aqui estamos.
Nós dos dedos de mãos e pés.
Toda a articulação desse corpo leva em si um nó

feito das estaladas preocupações
nó na cabeça, nossos nós.
Nó na garganta.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Do amor

Citarei a fonte
donde o amor
agora jorra
a encharcar-me:

Poema (meloso) de Amor II.

Da vaidade

"(...) Na verdade,
todo homem,
por mais firme que esteja,
é pura vaidade."


Sl. 39: 5b

sábado, 18 de setembro de 2010

Onde está o velhinho?

Onde está o velhinho?
Está sentado no bar
bebendo cerveja sozinho
e pensando na vida.

O sábado estranha
quando se demora o velhinho
a sentar no barzinho.
Mas é só atraso, ele sempre vem.

Seu lugar é cativo,
o espaço é seu por direito
assim como a mesa com a marca
da garrafa de cerveja gelada.

E lá fica o velhinho
esparramado em seu banquinho
sem nenhuma novidade
ou dinamismo.

Coitado do velhinho
os sábados fartaram-se de sua presença.
Aos dias o tempo é apressado
ao velhinho é arrastado.

O ritual do velhinho é sua vida
ou sua vida é seu ritual.
Ninguém ao certo sabe dizer
quem ritualiza o quê.

O velhinho tão tradicional
de bermuda, camiseta e chinelo
decidiu por um tempo mudar
e desconfiam que não foi por querer.

Apareceu, no início, de meias,
depois de calça,
depois de boné
e então de jaqueta.

Expeculam que seu coração,
acostumado à mesma situação,
não suportou as semanas de mudança.
E então, onde está o velhinho?

Do banquinho sumiu
e no bar não apareceu.
O sábado já não se faz o mesmo,
os dias gostam é de mudança.

Coitado do velhinho
desapareceu (d)o cotidiano.
Onde está o velhinho?
Está na marca da mesa.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Novidade

De seis anos para cá
até a fisionomia magra cresceu.

Férias ao (atualmente)
desregulado óculos

e trabalho ao novo
que está cheio de vontade

de fazer sua própria marca
nesse rosto cansado.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Cruzado

Disseram-me:
És por demais direto.
A vida me é direta,
A ponta do nariz já era.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Aborto

Rouba-se a vida,
rouba-se a inocência.

Política podre
cobra e sustenta o absurdo.

Viva aos salários dos eleitos
manchados de fetos.

Afinal patrocínio rima com latrocínio.


ps.: Imagem do site Repórter de Cristo.

Mas


Do que é feito do mas:

são feitas as desculpas
(das mais esfarrapadas),

são feitas as imposições
(das mais cruéis).

És uma terra diversa
a que recorre à adversidade.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Policial Militar


Isso que vestes
é farda,
ou fardo?

Não importa
se estás farto.

domingo, 12 de setembro de 2010

Valente
avalanche

é o amor.

Prisão


A pior prisão
é a que se cria
se cria nos outros
se cria no mundo
se prende da Vida.

sábado, 11 de setembro de 2010

Ponto de vista


É preciso mudar a perspectiva,
mas córneas não crescem em árvores.

Pergunta

Onde está a poesia em tudo isso?
Com o (que se diz) poeta.

Perda de tempo


No fim das contas
só precisamos de tinta preta.

O colorir é perda de tempo.

Hálito

Ele nasceu,
mas sem manual.

Saber viver é uma arte.
Humor negro que se sustenta por si.

Nesses tempos
tem sido impossível ser.

Do (não) querer

Não quero mais companhia,
qualquer que seja.
Quero o silêncio
do meu intelecto controverso.
Quero o deixa estar
da minha personalidade grossa
e sem jeito.
Deixe-me só
que ainda tenho a mim.

Sexta à noite

A cada esquina um rosto fechado,
a cada virada uma incompreensão.

E o Rio é repleto de curvas.

Da falta

O que falta à vida
é a vida que lhes falta.

Das pessoas

Às vezes, somente às vezes,
falta o entendimento:
como Deus pode amar tanto Sua criação?

Mais do que todo o resto,
mais do que o inanimado.
Pessoas são estúpidas.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Canetas

De vermelho só escrevo
se acabar as outras tintas.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Progresso

O que é estrada
para a borboleta
que nas árvores
antes se escondia?

Tanto faz

Tanto faz somente olhar
ou penetrar.
Mesmo peso,
mesma medida.

Pelas consequências
humanizamos.
Vários errinhos fazem um errão?

Morte
como salário devido
a todo pecado.

Coragem



Minhas palavras desafiam a escrita
como os malabares do excêntrico artista.

Abrigo

O período pede um abrigo,
um lugar do espaço e tempo excluído.

Uma praia encapsulada,
um terraço nublado,
uma floresta intocada,
um saco de dormir,
um vale
e uma fogueira.

Peço o momento congelado
na gelatina do viver.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Gênesis


"Na natureza
nada se cria,
nada se perde
tudo se transforma."

No início,
a partir de quê
tudo foi transformado?

É ciência,
é religião.
Mais complicado
é acreditar em vocês

do que na bíblia,
que é a verdade,
e liberta.