Páginas

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Obra

A escavadeira entra no terreno atrapalhando a todos,
Vira, mexe e remexe terra com entulho.
Com detritos.
Após muito mexer entram pessoas engraçadas
Com capacetes e linhas a marcar
Onde o ferro deve ficar e o concreto jorrar.
Então que caia a mistura acinzentada,
Vai virar pedra, fundação.
Que venham mais armações de ferro
Para que se forme o esqueleto.
Agora é a vez dos tijolos
Encaixando uns nos outros como lego.
Paredes que se formam sangrando
Um barro vermelho cozido.
Enfim uma cobertura,
Uma pele que esconda tudo.
É a vez das pessoas
Com sua organização engraçada,
Suas brigas, traições e mediocridade.

Por fim, restam apenas escombros.
Por fim mesmo, apenas terra,
Pedras, barro, areia.
Restos. Matéria orgânica.
Decomposição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário