Páginas

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Tetris

Tome uma biblioteca. Uma grande, com milhares de títulos. Tome um bloco de construção. Um pequeno, com um título próprio. Um livro, como bloco, é demasiadamente completo. Ainda que pequeno e com um título próprio é grande demais para essa proposta. Tome, portanto, sua composição: as palavras. Estas sim atendem melhor as qualidades de bloco de construção: são pequenas, com um único nome (a palavra em si).
Nesse ponto, convido a minuciar ainda mais, desmembrar palavras em letras, que são ainda menores, que também possuem títulos próprios (títulos esses que, ironicamente, precisam de outras letras para serem formados).
E são, finalmente, as letras, 26 para ser exato (pensando no alfabeto usado para formar a língua portuguesa) que juntas ao formar palavras e então livros, unidos formando uma biblioteca, imitam a beleza (intangível à inteligência humana) da vida e toda matéria que a rodeia. Veja, o alfabeto em ordem, confunde-se com uma tabela periódica. Cada átomo, como cada letra, formam moléculas distintas, como palavras, que unidas e arranjadas de maneira distinta formam tudo o que há separadamente, como livros, para ainda constituir todo um universo, como uma biblioteca.
A arte de unir letras especificamente a formar uma linguagem que transmita uma idéia, única, assemelha-se àquela criança de 5, 6 anos jogando tetris, zerando e batendo novos recordes. Nunca iguais.

2 comentários:

  1. é como se conseguíssemos combinações infinitas que podem construir um mundo com coisas - as palavras -, que na verdade, não são sólidas mas muito reais.

    bjo, bjo, bjo...

    ps.: tomara que depois das férias vc continue postando com essa frequência. :P

    ResponderExcluir
  2. Talvez até como se o mundo "real" fosse construído com átomos e o mundo das idéias com palavras. As possibilidades são infinitas. xD

    Tomara mesmo ;)

    Bjos mana

    ResponderExcluir