Páginas

domingo, 28 de março de 2010

Fragmentos de nós VI

Surpreende-me aconchegantemente ao lembrar dos 11 às 00:00, ao ligar em meio à tarde sem aviso prévio. Conforta-me ao fazer planos e querer que eu durma no avançar das horas. E você se solta e recosta em mim e dorme, então presencio sua respiração e coração se acalmarem e me sinto novamente o protetor frágil que não sabe muito bem o que fazer quando você abre os olhos no sol do fim da tarde. Mas como quem sabe da inquietação é redundante ao chamar a atenção para a cor com a qual me olha.
És tão linda.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Isso tudo é tão bonito. Ou sou eu quem estou fragilizada ou as coisas que são assim mesmo. Lembra-me uma música:
    'Eu quero descansar no teu peito o cansaço dessa vida e o peso de ter que ser alguém [...] Mas se você quiser e vier pro que der e vier comigo eu posso ser o seu abrigo[...] Mas só quero que saiba, meu bem, esteja sempre comigo '
    CMTN

    ResponderExcluir