Páginas

quarta-feira, 24 de março de 2010

Que medo é este

que o acorda antes da alvorada?
Que suposições são essas que o fazem pesquisar até o inatingível?
O ponto negro de desconfiança que pairava tem crescido.
Tem-se feito mancha e a claridade encontra dificuldade para encontrar os olhos.

A busca em falso por alguma verdade não revelada tem me obcecado.
Às vezes a vontade é de morrer, às vezes de matar,
a que mais prevalece é a de me excluir, não mais ser nada.
Toda dor antiga faz sentido agora: base de suporte para a atual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário