Páginas

terça-feira, 2 de março de 2010

Tudo o que eu quero,

agora, é uma resposta. Uma saída, luz que fosse. De todos os medos que afloram mais uma vez, um é novo. E tinha cerca de dez meses que não mais o sentia. Toda a falta de coragem, de seguir com meus próprios pés, vem de forma descomunal. São tantos os pensamentos vazios que me enchem! Mas nenhum que me traga paz, nenhum que mostre um caminho concreto, que mostre a felicidade, na forma mais sublime que um ser humano a possa perceber e sentir. É como se tudo estivesse girando em torno de uma questão de convencimento: não valho nada e nem tampouco nada me vale. Pergunto-me onde se encontra a pena, a satisfação do "vale à pena" continuar. Deus ainda me sustenta, mas não posso deixar de me perguntar "até quando?". É como se até com Ele batesse na mesma tecla da pessoa desamparada, que às vezes dá uma melhorada, mas retorna às mesmas questões de dez meses atrás, mas dessa vez dói mais do que naquele tempo. Aliada à primeira pergunta, segue "Cadê o tal plano?". Não estou aqui questionando, só não consigo vê-lo mesmo. Estou na segunda tentativa, que foi mais forte que a primeira, por isso a rasteira foi maior dessa vez? Continuando então, devo me preparar para anos de choro preso no pescoço onde quer que ande? Tinha a convicção que era santo (separado), nunca a de que era perfeito (muito pelo contrário, na verdade), mas ainda assim é difícil, ainda mais se pensar que não foi meu erro (pensando melhor talvez até tenha sido, pequenos hábitos ruins podem gerar grandes falhas), mesmo assim, são taaaantos imperfeitos no mundo! A questão é só por que não deu tempo de corrigir? O não saber o que fazer me destrói quase que na mesma medida do já conhecido medo do futuro e não posso deixar de me perguntar quem é a minha "loirinha", ou onde ela está. É a que sofre hoje junto comigo ou a que sofrerá um dia por qualquer outro motivo? O pior, pior mesmo, é essa voz maligna ao pé do meu ouvido tentando me convencer (e, tristemente, conseguindo às vezes) que não adianta. Que independente do que aconteça meu "fim" é a frustração, a falta de remédio para uma vida dura. De vez em quando uma vida extremamente triste, sem motivo aparente. Sem calor humano paciente. Porque até mesmo eu já cansei do meu sofrimento, não deve haver alguém que não se canse também.

Um comentário:

  1. Tudo se resume a..fé! A biblia fala que tudo é possivel aquele que crê. Analisando bem a frase, TUDO é Tudo..sem meio termo, sem porém, sem obstáculos e sem argumentos. E medo é o oposto de fé. Fé é acreditar que o que Deus disse é verdade, e medo é acreditar que o pior pode acontecer. Deus sempre...vai cuidar de nós e nos conduzir a um caminho bom e agradável, mas nossa fé sempre é testada, principalmente quando grandes coisas estão por vir! ;)

    ResponderExcluir