Páginas

sábado, 10 de abril de 2010

Imaginação

Imagine se pensássemos a cada passo,
a cada ação,
em cada piscar de olhos,
a cada caminhar,
em cada aurora.

Imagine se levássemos em consideração
Cada pessoa que atravessasse a visão,
cada inseto que esmagamos sem ver,
cada som que nos perturba os ouvidos.

Agora imagine inércia,
imagine que nada o atinge,
imagine acordar e dormir
e não ter vivido o dia.

Imagine o comportamento
de um relógio de ponteiro,
que não se atém se
é meio-dia ou meia-noite.

Nesse momento imagine.
Imagine sua realidade,
as suas verdades
e o seu dia-a-dia.

Detenha-se a ambos os extremos,
Misturemos um pouco.
Sem desproporções
e veja:

Nesse ponto deixe de imaginar.
Nesse momento passe a sentir,
sentir dentro de si
a sua nova vida, acabado o esboço!


Em 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário