Páginas

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Cemitério

Jazigos perpétuos
lado a lado.
Covas rasas ao fundo:
revezamentos de mortes.

Os motéis são como os cemitérios
não há vida, não há prazer.
Só há morte e empilhamento de corpos
a apodrecer.

Quando o viver ao lado para sempre
se confunde com ossadas de mãos dadas
não se respira,
só se sufoca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário