Páginas

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Orvalho

O tempo passa
como brisa

e se flui
como rio.

Arrasta-se e atinge o mar,
essa imensidão de ar.

Outras correntes me levaram,
outros ventos me açoitaram.

Enquanto os segundos não param
aguardo-te.

Nenhum comentário:

Postar um comentário