Páginas

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Comunicado

Há algum tempo criei um blog específico para a publicação de alguns estudos bíblicos que eu participava com o consentimento dos autores. Com o tempo notei que o site da igreja em que eu congrego estava muito desatualizado, então criei o blog da IEC de Higienópolis com o fim de postar as atividades que são realizadas lá sem a necessidade de pagar um servidor com domínio próprio. Com isso, decidi então usar o Estudos Cotidianos Bíblicos como um meio de propagar os estudos ministrados exclusivamente na IECH e é por essa razão que agora postarei aqui os estudos que forem ministrados por autores que não sejam membros da IECH.

Bom, é isso, para que tudo seja mais organizado os estudos aqui postados terão um marcador próprio e entrarão como citação ou recomendação no Estudos Cotidianos Bíblicos.

Espero que todos os visitantes deste blog sejam abençoados com os estudos que virão e estão todos convidados a acompanhar também o Estudos Cotidianos Bíblicos.

Um abraço a todos,
Felipe.

Da perda de tempo

Já perdi tanto tempo
     com o erro alheio.

Perdão Senhor,
     por usar meu tempo,
     o tempo que o Senhor me deu
     para me auto-flagelar pelos demais.

Oh Deus toque naqueles
     que erraram e erram contra Ti
     e me ajude a esquecer
     tanto erros quanto errados.

Fim de férias

Acordo
cedo,
sempre cedo.

Dormir demais
é perda de tempo
mesmo no tédio.

O café da manhã,
quando existe,
é ralo.

O início
do dia
sempre causa náusea.

As lembranças,
pensamentos automáticos,
consomem a falta do que fazer.

[continua...]

Aleatório

Algumas vezes,
é, apenas algumas vezes
eu me pergunto:
Por que eu?
Ou, por que comigo?

Sempre quis um viver simples,
eu quero acreditar.
O problema é que
chega o momento
em que é demais.

Droga! Os fantasmas só acumulam!
Afinal sou o único disponível
para ser aterrorizado?

E quanto tempo faz?
Mais da metade do total!
Mas a dor é a mesma.

Só espero que essa dor
ao menos cause força.
Do contrário será por demais trágico.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Perdão

Quisera houvesse um jeito
de cada um prejudicar
apenas a si mesmo.

Enquanto não há
o remorso faz suas vítimas
despedaçando vidas.

Perdição

Eis o abismo:
só poderá voar
se se jogar.

Mas esse é o abismo do mundo,
não confunda queda com voo.
A ilusão se finda no fundo.

E agora, na eterna base,
não há asas ou escape.
Ninguém pode encontrá-lo.

Garantia

Guardo minha poesia
como diamante bruto
em cada articulação.

Do que é lançado

A pedra que sai da mão,
e a palavra torta da pena,
e o xingamento da boca torpe,
e o projétil da arma ingênua,
e o remorso de seu coração.

Guardo sua boa palavra
preciosa em meu peito.
Pois já estou cansado
desse mesmo velho efeito
que tudo o que é ruim
é obrigado a causar.

Feudalismo

Que cada homem
tenha seu castelo.

Na selva de pedra
nada brota, nem alimenta.
Ser nômade
é ser pedinte.

Que cada homem
tenha seu castelo.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Os 10 mandamentos do namoro cristão

Parte 1:



Parte 2:



Parte 3:



Parte 4:



Parte 5:



Parte 6:



Parte 7:




Palestra do Pastor Josué Gonçalves.

Retirado do blog Todo dia é um dia especial!

Da sabedoria

O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam. O Seu louvor permanece para sempre.
Salmo 111: 10.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Do álcool


                Orgulhemo-nos por sermos o país com o quarto maior consumo de álcool das Américas e que seja a vergonha não ser o primeiro lugar. Somos o quarto país a achar necessário um agente amenizador de inibição para que possamos nos divertir. Sugiro que façamos a nossa vontade e paremos de agir com a hipocrisia que transporta toda nossa sociedade para a fossa. Se ser o primeiro é o desejo por que não servimos bebida alcoólica para nossas crianças de uma vez? Por que não cigarro, ou ainda, por que não encher mais e mais as passeatas para tornar lícitas as drogas proibidas? Ou o álcool deixou de ser um entorpecente?

                A falsa liberdade que os jovens demonstram com relação à bebida alcoólica é um dos motivos para a sensação de caos cada vez maior em nossos dias. Alguém dirigir bêbado e matar uma família no trânsito tem o mesmo efeito provocado por um viciado, na tentativa de roubo: morte para a satisfação da sua necessidade de droga. É o mesmo dano, são vidas inocentes perdidas para o álcool da mesma forma que perdemos vidas inocentes para as drogas.

                Eu sempre me pergunto como alguém fora de seu juízo perfeito pode decidir a melhor maneira de resolver alguma situação. Aqueles que usam o álcool como artifício para diversão são dignos somente de pena, nada mais. O álcool para o corpo humano é uma toxina, sobrecarrega o fígado, sendo capaz de alterar o comportamento comum de um indivíduo. Alcoólatras apresentam taxa de suicídio de 2 a 3,4%, algo em torno de 60 a 120 vezes maior do que entre a população geral, isso sem contar condutas auto-destrutivas ou a persistência em beber durante doenças graves.

                E por falar em conduta, não sei vocês, mas eu sempre achei que falar enrolado, demorar para elaborar o raciocínio e agir de maneira inadequada não são comportamentos esperados de pessoas adultas, que já possuem maturidade suficiente para saber como se comportar em torno de outras pessoas.

                Por fim, sou contra a ingestão de álcool, minha e de outras pessoas, da mesma forma que sou contra o consumo de tabaco e de todas as outras drogas ilícitas. Ainda que o álcool fosse por si só uma forma de suicídio, como uma injeção letal simples, seria contra porque a autodestruição nunca vem só. Ninguém é uma ilha, decisões mal feitas sempre resvalam na vida de outros. Que possamos aprender, como sociedade, a ser menos animais e mais humanos. Afinal, querer viver entorpecido não é coisa de gente.


Obs.: Inspirado nessa reportagem e para quem for conferir: ênfase para o último parágrafo.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Numb


Venha, sobre ti quero escrever
nesse bloco pautado,
falar de você, que sabe viver.

Você não precisa de bloco
ou escrita, tampouco pautas,
nem está sozinha com essas marcas.

Ainda que eu tivesse
mil poesias
dormiria.
Almejo o descanso de mim mesmo.

Ainda que você corresse
das mil loucuras
de ti escreveria
insana.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

miragem de manhã

Hoje acordei sem abrir os olhos e vi cores que ainda nem sei o nome. Andarilhei cômodos vazios de luz tateando uma escuridão tocante, à flor da pele. Uma estrada vazia, à beira de um deserto ou mar, não lembro. Som do calor da borracha correndo no asfalto misturado à espuma da coca-cola gelada escorrendo pelo copo. É tudo parte de uma certa esquizofrenia, o calor bagunça os sentidos, e com esses óculos suados já quase não se vê nada além de borrões em sépia. Talvez seja mar mesmo, com esse gosto de sal no ar, essa maresia a incomodar a pele, temperando o tato ao sol. Um respirar atrapalhado por ondas a cambalhotar corpo contribuindo ao desespero. As cores sem nome, a falta de palavras, de ar, cada um dos sentidos falha nesse mar de ilusões.

Sonhei que estava acordado.